Swinging
14 de abr de 2019


Somos um casal swing que estamos no meio desde de 2005 quando a esposa descobriu uma traição do marido e depois de uma longa conversa resolvemos praticar a troca de parceiros e frequentar as festas swing promovidas por Tom e Katia. Como já sabem levamos muito tempo para transarmos nas salas coletivas da casa de swing e termos outro casal na mesma cama. Claro que participamos das brincadeiras nas festas da casa de Swing. Muitas delas onde, por malandragem dos homens e putaria das meninas que não usava calcinhas, havia penetração “involuntárias”. Apesar da penetração ser de poucos minutos havia muitos gozos e até leitinho nas vaginas das minas.

Quando já fazia quatro anos que estava no meio e já havia transado nas salas coletivas e experimentado a troca de parceiros resolvemos convidar dois casais amigos da casa para passarmos um fim de semana em uma casa de praia. Escolhemos para alugar uma casa isolada por muros altos e não devassada pela vizinhança. Tudo acertado e combinado qual seria a participação de cada casal com relação a alimentação e o pagamento do aluguel, partimos uma sexta feira a tarde para a praia da baleia. Fomos em dois carros, onde levamos um dos casais amigos, Paulo e Maria.

Para melhor compreensão, eram os casais A e D, Paulo e Maria e Carlos e Joana. Paulo um moreno cuja ferramenta de aproximadamente 22cm, Carlos e A com ferramenta de 17 cm 15 cm, respectivamente. As meninas, Joana de seios bem volumosos e uma bunda deliciosa, Maria de seios grandes, cintura fina e bunda arrebitada e D com seios médios, bunda acima da média e apetitosa. Este material viajou à praia com boas intenções, principalmente de terem os prazeres que o sexo proporciona. As idades variavam de 35 anos a 60 anos, sendo os mais velhos o casal A e D, ambos com sessenta anos e os mais novos Carlos e Joana, respectivamente, de 35 e 40 anos.

Ao chegarmos a praia dividirmos os aposentos e como só havia dois quartos, um com cama de casal e outro com duas camas de casais, concordamos que Carlos e Joana ficariam na cama de casal e os A e D e Paulo e Maria ficariam no quarto com duas camas.

Depois de colocarmos as malas nos aposentos, trocamos de roupa, vestindo roupa de banho, onde observamos as qualidades do casal Paulo e Maria. D achou a ferramenta de Paulo muito grande e tinha a impressão que ela, apesar de preencher toda a sua vagina, seria um pouco desconfortante. Não sabemos o que Paulo e Maria acharam de nós. Então, esperando um pouco na sala por Carlos e Joana, nos dirigirmos a piscina. Conversamos animadamente e falamos sobre os mais variados assuntos, inclusive nossas afinidades intimas. Soubemos que Paulo e Maria estavam no swing há dez anos e Carlos e Joana há dois anos. Que Paulo e Maria praticava o coito anal, mas Carlos e Joana nunca tinham experimentado. Falamos que a D não permitia o coito anal. Já sabíamos que as esposas gostavam do sexo oral porque já tínhamos vistos elas praticarem na casa de swing. Assim ficamos a par dos interesses de cada casal. Tocamos os pares para beijos e amassos, mas só isto no entardecer.

Por volta das 20 horas entramos na casa para preparar o jantar, onde as esposas se dividiram nas tarefas de prepara-lo e caberia os homens lavar a louça, deveres e obrigações para todos.

Depois do jantar colocamos uma música para dançarmos e desfrutarmos da noite. Num dado momento alguém sugeriu que devíamos dançar nus e logo todos se desfizeram de suas roupas. Iniciamos cada casal com seu par fixo e veio a sugestão, haveria troca de parceiros ao final de cada música e obedeceria a ordem D, Maria e Joana. No fim da primeira música A dançaria com Maria, Paulo com Joana e Carlos com D e assim por diante. Durante as danças praticamos muitos carinhos, onde as mulheres foram beijadas de todas a maneiras, havendo casal que parou no meio da música para praticarem o sexo oral. Dançamos por aproximadamente duas horas e no final das músicas cada casal transou com seu par de dança, na frente dos demais. D transou com Maria, Paulo com Joana e Carlos com D. Após esta prática gostosa cada casal transou com seu par fixo, no mesmo ambiente. Fomos dormir e acordamos a 10 horas do dia seguinte para o café, onde se comentou a noite anterior, cada homem elogiando as mulheres que ele comeu. As mulheres também elogiaram seus parceiros de transa.

Após o café combinamos que iriam todos nus para desfrutar da piscina e churrasqueira durante o dia. Não é necessário dizer que cada mulher transou com seu parceiro fixo e os outros dois homens. Sendo que a Maria transou com todos, pelo menos três vezes e D transou duas vezes com todos. A transa mais gostosa foi a primeira entre Paulo e D, ela começou lambendo o pau dele desde o saco até a ponta do pinto e o engolindo. Ficou neste movimento até ele gozar na sua boca, depois ela exigiu que ele a penetrasse de quatro, para experimentar um pau grande e ver se ele batia no seu útero, mas isto ela não divulgou. O saco de Paulo fazia barulho quando batia nas partes intimas de D e ela gritava alto de prazer. Todas as transas foram excelentes e no fim do dia estávamos cansados, não houve brincadeira a noite, pois todos foram para seus aposentos.

Estando lá dentro, Paulo desejou ter novo experimento com D, onde fizeram um sessenta e nove e Paulo levou mais de 60 minutos para inundar a vagina de D com leite gostoso, sendo que D gozou pelo menos 5 vezes. Então A teve de dar conta de Maria, beijar aqueles seios maravilhosos, penetra-la pela frente e traz e inundar sua vagina com porra.

No dia seguinte voltamos para Fortaleza e toda vez que nos encontramos na casa de swing trocamos parceiros, mas já faz cinco anos que não vemos os casais queridos.


Comentários