Escrito por Anônimo

Swinging
6 de ago de 2020


Sempre fui um cara bastante sexualmente ativo e satisfeito, fui morar junto com duas gatas bi com apenas 24 anos de idade, foi curto o tempo, apenas 8 meses, mas de muita felicidade, aprendizagem, carinho, tesão e muito sexo a três. após nos separarmos amigavelmente, fiquei 10 anos sem um romance duradouro, apenas muitas festas e putaria. Acontece que este estilo de vida acaba se tornando um pouco vazio, sem ter aquela gata amiga, parceira, confidente, amada amante, com que compartilhar uma vida, construir uma família. Vinha então o grande problema, eu não conseguia até então ficar muito tempo com uma pessoa só, batia uma necessidade de explorar novas aventuras e eu não queria me envolver com alguém para trair, não é do meu caráter. Foi então numa noite mágica que conheci esta princesa de 25 anos, morena cor do pecado, peitão durinho e empinado, bunda maravilhosa e uma pepeka deliciosa e sabora. No primeiro dia brinquei com ela que queria ter um filho, ela sorriu e disse, eu topo, mas eu acho que tão maravilhoso assim ou você é casado, ou tem namorada, ou é galinha ou é gay. Fiquei surpreso e confessei que estava enrolado com uma garota, mas que já queria terminar, era a força que faltava. Terminei com a gata, e começamos a sair. Rolava um sexo muito gostoso e quente. Eu sempre fui Hétero Alfa, nunca deixei que me tocassem na comporta traseira, porém depois de 4 meses de casado eu percebia que ela tentava passar a lingua ou o dedo enquanto me chupava gostoso e eu sempre fechando qualquer possibilidade, foi então que começou meio que esfriar as transas. Percebia ela fugindo da cama silenciosa no meio da noite e assistindo pornô bi ou inversão enquanto se masturbava e gozava loucamente. Neste período meu amor e tesão por ela estavam tão grandes, que eu não queria perder aquela princesa social e minha putinha. Tentei primeiro a dominação, ela curtiu muito ser pegada mais hardcore, vendada, chicote e outros apetrechos. Um dia ela me chupando, eu perguntei pq ela sempre tentava passar a mão ou a língua no meu Buraco fechado. Ela me disse meio triste: Impressão sua cachorro, vou cuidar para não acontecer. A surpresa dela foi que eu disse: você é minha putinha safada e pode fazer o que quiser, pode ser sincera comigo que o máximo é um não. Mas se te faz gozar feliz mete a lingua aí, só não venha querer colocar dedo, aí já é demais. Foda-se minha masculinidade, por você, mete a lingua. Só de pensar naquele dia fico de pau duro, ela meteu a lingua no meu rabo com tanto gosto, enquanto me masturbava e revesava entre mamar e linguar, que no começo me deu um suador louco, vinha na minha mente, virei gay, é muito bom. Aquele dia eu achava que tinha sido minha melhor gozada da vida, esguichou porra por uns dois metros, e gozei muito e e la se lambuzando feliz e satisfeita naquele banho de porra.

Continua.

Tags: esposa feliz