Swinging
1 de jun de 2019


Atualmente temos 71 anos, somos swing e já participamos de um ménage masculino. Iniciamos nossa liberdade sexual em ménage feminino e foram todos muitos gratificantes. Só relembrando, houve uma em que ao chegar de viagem, a esposa e uma gata com quem tínhamos realizado um ménage feminino estava me esperando e fomos direto para um motel, onde passamos a noite. Este foi uma das melhores, pela iniciativa da esposa. Sempre que a esposa toma a iniciativa é muito gratificante a realização da fantasia.

O fato que quero narrar foi há uns treze anos e foi comemoração de aniversário de casamento, mesmo não sendo iniciativa da esposa esperava que ela recebesse os carinhos que lembrasse nossa lua de mel. Quando tínhamos entre cinquenta e sessenta anos, sempre comemoramos os aniversários, tanto pessoal como de casamento com algo especial, incluindo ménage feminino ou swing. Neste aniversário de casamento resolvi fazer uma surpresa para esposa, esperando retribuir os carinhos que ela tinha me proporcionado na chegada daquela viagem. A comemoração que planejei foi uma festa privada com alguns casais. Convidei vários casais amigos que havíamos conhecidos e conversados em uma casa de swing, Tom e Kátia, aqui em Fortaleza. Só cinco casais confirmaram, mas, em fim, apareceram três. Entre estes três havia uma gata que eu sempre tive vontade de tela na cama, mas nada havia acontecido ente nós e o casal. Como todos sabem, nem sempre podermos nos relacionar com aquele casal que temos afinidades, pois as oportunidades nem sempre são favoráveis.

Antes do dia de aniversário de casamento passei em uma loja de roupas intimas feminina e adquiri várias peças para incentivar as brincadeiras. Estas peças incluíam camisolas transparentes, calcinhas tipo fio dental, bojos, bem sensuais e transparentes. Até o dia do aniversário de casamento a esposa não tinha nenhum conhecimento do que havia planejado. A suíte que reservei antecipadamente em um motel de Fortaleza era espaçosa, tínhamos espaço para brincadeiras, música eletrônica, sauna e espaços para dança e divertimento. Deixei todas as peças e um baralho na porta mala do carro e no dia convidei a esposa para um jantar especial num restaurante de um bom hotel de Fortaleza. Procurei ser muito carinhoso com a esposa e a cerquei de mimos e ela muito gostosa sempre agradecia o que eu estava fazendo, ainda sem saber que eu desejava lhe proporcionar muitos carinhos e que estes fossem de algum outro homem, pois as esposas dos convidados não interagiam com mulheres, pelo menos era o que eu sabia. Claro que estava com muito desejo em dar e receber carinho das esposas convidadas. Esperava poder gozar nas xotas das convidadas, como esperava que a esposa pudesse experimentar as ferramentas masculinas dos maridos convidados. No final do jantar comuniquei a esposa o plano, ela ficou surpresa, pois sabia que os maridos dos nossos casais amigos iriam querer lhe dar um presente. Apesar de já ter experiência e receber um ferro duro e latejando, ainda não tinha transado com mais de dois homens numa noite. Mas, também, sabia que seria tratada com o máximo de carinho tantos pelos maridos como das esposas. Diante deste convite demonstrou alegria e um sorriso malicioso e disse hoje terei o que ainda não realizei, vou ter minha xota invadida por cinco machos gostosos, pois no momento não sabíamos que só ririam três casais amigos, mais os cinco que haviam confirmados. Mas logo, falei seis, pois eu também vou invadi-la, e com certeza serei o último. Ela deu um sorriso e muito animada falou para nos dirigirmos logo ao motel. Nos dez quilômetros que tivemos de percorrer para chegarmos ao motel, ela retirou a minha ferramenta e colocou na sua boca, falando, bem amigo, você vai provar do sabor de outros que, antes, vão se deliciar com a sua amiga de todas as noites e manhãs. Fiz o possível para não gozar, pois estava uma delicia vendo a esposa cheia de desejo em ser satisfeita pelos os amigos que estariam na nossa festa de aniversário. Quando chegamos ao motel, não havia nenhum convidado, mas estava dentro do previsto, pois o horário combinado era, pelo menos, trinta minutos após a nossa chegada. Tomei as devidas providência, lingando a música, checando a sauna e a suíte disponível para a realização da fantasia. Logo mais chegaram os casais, três, e iniciamos o nosso papo, falando da alegria de estarem conosco, pois nos achavam muito simpáticos, só lamentando de nunca poderem ter uma oportunidade de algo mais íntimo conosco. Mas, esta data seria um começo de algo muito prazeroso. Concordamos, e lhe comunicamos que estarmos comemorando o nosso aniversário de casamento. Pois, eu não havia falado disso no convite, mas que era uma festa privada com alguns casais da casa de swing. Quando percebi que não teríamos os cinco casais que confirmaram, propôs um jogo de cartas, onde que ganhasse pedira um prêmio ao perdedor, último colocado no jogo. Começamos jogar buraco, onde a partida seria de três mãos e os parceiros, cada casal, jogariam contra os demais. Para compreensão vamos chamar os casais de Paulo e Ana, Jose e Monica, Luiza e Carlos e nos, AD casal. Na primeira partida perdeu José e Monica e ganhara Luiza e Carlos. Luiza e Carlos queriam um streep de Monica, onde José iria tirando a roupa de Mônica e beijando-a até deixá-la de calcinha. Propôs incrementar, com Monica vestindo na frente de todos, mostrando a bucetinha deliciosa, uma calcinha minúscula que havia trazido e falando que este seria um presente que eu gostaria de tirar com a boca. Luzia e Carlos concordaram e o casal deu um show sensual, inclusive Jose dando uma lambidas deliciosas, quando a calcinha da Mônica caiu e falou as próximas serão do A, pois ele parece estar louco para lhe fazer gozar na boca dele. Houve algumas rodadas com troca de carinhos entre casais e casais trocados e também todas as esposas vestiram as roupas íntimas que havia trazido mais de uma vez. Eu, mesmo retirei a calcinha da Luiza, com a boca, dando-lhe uma bela chupada e substituindo-a por uma preta pequena e bem transparente. Ademais, houve muitas chupadas rápidas tanto das bucetas como das ferramentas masculinas por exigência dos vencedores. No final do jogo de baralho, as mulheres tinham trocado de roupa na frente dos casais e usavam as roupas íntimas que eu havia trazido. Cada uma delas usava uma calcinha minúscula, uma camisola transparente e dispensaram os demais acessórios. As quatro gatas nos mostravam os belos seios, as bundas e as deliciosas bucetas. Nesta altura, os homens já estavam todos de cuecas, pois havia perdido as suas roupas e não havia presente para eles. Todos com as ferramentas querendo deixar seus casulos, cada uma mais dura do que as outras. Alguns reclamavam, mas outros estavam muito contentes com a visão que tinham das esposas dos amigos. Neste momento, propôs um jogo de carta, onde o casal que tirasse a maior carta escolheria a parceira ou parceiro para iniciar a brincadeira que estamos esperando. O primeiro casal que ganhou foi o José e a Mônica, sendo que José escolheu Ana e Mônica escolheu Carlos. Na segunda rodada ganhou Paulo e Ana, e como as mulheres que poderiam ser escolhidas eram Luzia e D, o Paulo escolheu a D do casal AD para me deixa a Luzia como parceira, já que havia demonstrado o desejo de dar-lhe carinho. Mas, antes, propôs uma nova brincadeira, cada homem devia beijar carinhosamente a xota de cada uma das mulheres pressentes por pelo menos cinco minutas ou até elas gozarem. As mulheres se deitaram lado a lado, ficando na ordem Luzia, Ana, Monica e D. Como era meu aniversário de casamento, permitiram que fosse o primeiro da fila seguido por Paulo, Carlos e José. Iniciei as atividades com a Luzia, como muita vontade e desejo enquanto os demais maridos observavam. Já perceberam, Luzia era a gata que sempre tive vontade de se relacionar intimamente. Dei um trato caprichado, deixando-a toda encharcada e fiz o mesmo com as demais, sempre elogiando a beleza das xotas. Creio que a Ana e a D gozaram na minha boca, pois com a D estive beijando sua xota por mais de dez minutos. Quando terminei, José ainda chupava Luzia que parecia estava gozado na boca do amigo. Ainda tive de esperar alguns minutos para José soltar a Luzia e iniciar nossas brincadeiras. Todos sabem que os maridos chuparam a D, cada um deles, por mais de dez minutos, segundo a D ela gozou na boca de cada um deles por mais de uma vez. Todos os pares formados no Jogo iniciaram suas atividades procurando dar o máximo de carinho a esposa escolhida. Cada um teve gozos deliciosos com direito a urros e gritos estou gozandooooooo. O Paulo que aparentemente tinha uma ferramenta mais desenvolvida beijou carinhosamente a D, recebeu sexo oral e após uns vinte minutos colocou se pau com carinho e fez a D urrar várias vezes. Depois desta primeira rodada, as escolhas ficaram por conta das mulheres que, às vezes duas delas transavam com um homem ou dois dos homens transavam com uma mulher. Ficamos por mais de seis horas sem dar descanso para as mulheres. Houve várias duplas penetrações e muitos gozos nas bocas dos homens. As mulheres engoliram muito leite, deixando os homens gratificados. Após todos terem enchido a xota de D com suas ferramentas e lhe proporcionarem gozos maravilhosos propôs observarem eu enchendo a bucetinha de D de porra. A buceta estava bastante alargada e molhada que meu pau escorregava como nunca nesta fenda maravilhosa. Já cansados e com as esposas gozadas e bebido leite de todos, tendo seus corpos cheios de porras de todos, nos despedimos. No caminho de volta a casa a D confessou que nunca tinha gozado como naquele dia e que gostou eu tê-la possuido depois de todos, mesmo porque o Paulo e o Carlos tinham gozado dentro sem camisinha e ela estava com a bucetinha cheia de porra deles. Perguntei se o José tinha também gozado dentro dela sem camisinha, ela disse não saber, porque ele foi muito eficiente e a fez gozar inúmeras vezes. Ela disse que engoliu porra de todos eles, sendo este aniversário o mais delicioso da sua vida. Ao chegarmos à nossa casa, ainda praticamos sexo por mais de duas horas. De fato, este foi o aniversário mais delicioso que tivemos.


Comentar