Encontros
12 de nov de 2020


Meu segundo encontro não foi a mesma loucura do primeiro. Moro e trabalho em Santo André e marquei um encontro com uma mulher incrível e para ela ela o seu primeiro encontro.

Fomos em um parque próximo a um shopping da cidade e quando me deparei com ela, uma mulher bonita, do tipo falsa magra, tímida e no primeiro momento, um contato simples. Conversamos um pouco e combinamos de subir até uma rua onde existe alguns bares (point da cidade). Estava de moto e subi em direção a uma lugar que eu sabia que estava aberto para tomar uma cervejinha.

Em determinado momento, comecei a sentir uma mão passando no meu peito e barriga, ela me abraçou gostoso e suas mão foram em direção ao meu pau... Nossa, sentei até um pouco para trás para ficar mais próximo do seu corpo e liberando um pouco o espaço entre meu pau e o tanque de combustível.

Quando cheguei na porta do barzinho, ela sussurrou que não queria entrar, que tinha que ir embora cedo, mas queria beber outra coisa. Mensagem compreendida, liguei a moto e desloquei-me por menos de 300 metros a um motel, embiquei na entrada, ainda na calçada, ela sinalizou que sim apertando meu pau com vontade.

Entramos e ficamos duas horas aproveitando cada momento, cada apertada, cada chupada, mas suas marca registrada é a sentada, não tem como controlar, ela sabe o que quer e como fazer.

Depois disso tivemos outro encontro maravilhoso, pena que foi o último, pois se despediu de mim com classe dizendo que vai se mudar para outro Estado.

Essa casadinha é incrível e merece ficar registrada em minha lembrança.


Comentários