Paraiso Swing Cams
Online agora
Bellamy_Parker1 Ratienterciopelo Nicole_Jakobs AishaEbony IndianExstacy LuzBella AdeleMitchell ViolettGirl 1LadyRita Cassettetape Fancy_Indian AniyaJoy AmeliaLeilani Arinxxo EriekaMood
Ver todos os modelos

Escrito por Anônimo

Encontros
24 de jun de 2022


Bom esse um relato das minhas primeiras aventuras com uma colega de infância.

Chamarei ela de Bia,

Bia na época era uma adolescente loira, dos peitos medianos, bunda mediana e empinada.

Como quase todos, é na fase da adolescencia que começamos nossas curiosidades sexuais, e com nós não foi diferente. Como meus pais trabalhavam, no período da tarde ela cuidava da minha subrinha na casa da mãe dela e eu sempre ficava encarregado de buscar minha subrinha quando meus pais chegassem do serviço.

(Nós tínhamos um caso de adolescente e sempre ficávamos nos beijos, nas mãos bobas, nas encochadas, ela sempre foi safadinha e bastante passiva nos joguinhos que eu fazia). Nesse dia eu decidi ir mais cedo na casa dela, pois eu sabia que a mãe dela chegava tarde e provavelmente minha subrinha estaria dormindo. Quando eu cheguei, a Bia estava arrumando a casa com um shortinho curto e colado que deixava ela com a xxt bem destacada, sua blusinha sem sutiã deixavam seus faróis um pouco marcando.

Como não sou bobo fui logo comprimento ela com um beijo no rosto e um abraço aproveitador , para dar aquela leve resvalada em sua bunda.

Ela também já sabia do meu interesse e só ficava com aquele olhar de "quero fuder mais alguém pode chegar" kkk,

Me afastei um pouco e ficamos conversando de assuntos paralelos enquanto ela estava terminando de arrumar a casa.

Notei que ela fazia uns movimentos abaixando bem devagar afim de me provocar, e meu tesão subindo, logo destacou-se no meu short e ela viu.

Como eu estava próximo do banheiro, entrei e a chamei com a mão, ela olhou para os lados, foi até na porta de entrada e certificou que não havia ninguém próximo.

Nisso ela entra e fecha a porta do banheiro, nisso começo a passar a mão no pescoço dela, vou por trás e beijo seu pescoço, sinto ela estremecer, á viro e nos beijamos como adolescentes apaixonados.

Beijos vai, beijos vem e a mão boba já estava por baixa da blusa dela acariciando aquelas peras cujo os bico estavam durinhos. Eu a beija e acariciava seus peitos com uma mão e a outra alisando sua bundinha.

Coloquei a mão por dentro do short dela e alcancei o fio dental que ela estava usando, agora a mão que estava por trás eu fui passando lentamente para a frente e alcancei aquela xoxotinha que já estava toda encharcada e melou minha mão,.

Os beijos foram ficando mais frenéticos e meus dedinhos alisando sua xota mais enxarcados, meu pau já estava tão duro que começava a pular do meu short.

Nisso ela começa a se esfregar nele, coloca a mão por dentro e inicia os movimentos de pinheta. Eu já ficando no ápice tesão, começo a usar as duas mãos uma em cada peito e ela gemendo baixinho para que ninguém do quintal pudesse ouvir.

Eu sabendo que o tempo era nosso inimigo já começo a abaixar mais e mais seu short e calcinha, ela a princípio reluta mas acaba sedendo após me chamar várias vezes de doido com aquela voz de "mulher no Cil". Nisso ela olha para o estado que minha piroca estava e fala "hoje não", (ela era virgem na época), mas permite que eu fique roçando a entrada do seu cuzinho, cuzinho esse que só havia passado os dedinhos na entrada.

Roçando no vai e vem , eu coloquei a cabeça na entrada e ela me apertou e pude ver sua cara de dor mas ela não cedeu, me deixou brincar mais um pouco na entrada e ao passar a mão por baixo vi que ela continuava com a xota toda insopada.

Ficamos assim por mais alguns instantes até que tivemos que ro.per devido o horário.

Terminamos esse encontro com um longo médico e eu apertando sua bundinha.

Quando eu arrumar tempo, tentarei relatar em como perdemos a virgindade juntos.

Abraço a quem leu😘

Tags: casal


Comentar