Escrito por Anônimo

Gay
26 de jun de 2020


Quando tinha uns 18 anos, trabalhei num depósito de materiais de construção do meu pai e todos os finais de semana eu era o responsável por fechar o lugar e arrumar as coisas.

Geralmente ficava sozinho ou com um ou dois outros funcionários que ajudavam, tomavam seus banhos e iam embora, assim como eu.

Certo dia, ficamos só eu e o Carlão no lugar, arrumamos as coisas e enquanto eu fechava o caixa ele foi pro vestiário e eu fui logo depois, foi quando me deparei com o Carlão saindo do chuveiro e notei aquele pauzão enorme dele.

Sempre curti mulher e nunca tive atração por outros caras, mas vendo aquele pau descomunal, comentei: que pauzão hein Carlão... rimos, ele deu uma chacoalhada de leve, cobriu com a toalha e seguimos em frente, tomei me banho e fomo embora.

No outro final de semana, a mesma rotina se repetiu, estava esperando ele sair do chuveiro pra entrar e como sempre, já estava pelado, esperando minha vez, ele saiu, com o pauzão de fora e eu fiquei olhando e ele meio tímido, meio safado falou: você ta gostando ne, e deu uma risadinha, eu também sorri e olhei pra cara dele que fez cara de safado, levantei sem responder, fui pro chuveiro e notei ele olhando minha bunda. Falei que é isso, ta olhando minha bunda é? Começamos a rir e notei que o pau dele começou a subir, perguntei, ta com tesão de olhar minha bunda? Nesse momento ele começou a pegar no pau, que ficou duro rápido e respondeu que sim, veio chegando perto e falou pra eu pegar... Peguei naquele pauzão quente, nisso também já estava com o pau duro e ficamos ali, um punhetando o outro e ele falou: vem, chupa um pouco... caí de boca naquele pauzão, nunca tinha chupado um pau, me engasguei com ele batendo no fundo da minha garganta, mas peguei o jeito e mamei até ele gozar na minha boca, fiquei de pé, meio sem graça, entrei no chuveiro e fui tomar meu banho, quando saí, la estava ele, de pau duro e falou, vem chupa mais, naquela altura eu já estava cheio de tesão, fiquei de 4 no banco do lado dele, chupando aquele belo pauzão e ele começou a passar a mão na minha bundinha e dar umas dedadas no meu cuzinho, nessa hora eu já estava cheio de tesão, o Carlão levantou, me virou e caiu de boca, linguando meu cuzinho, aquilo me deixou louco, eu gemia de tesão e meu pau estava todo melado

Ele parou um pouco, foi até o armário, voltou com a camisinha e falou se podia, eu explodindo de tesão aceitei na hora, empinei a bundinha e ele foi brincando no meu cuzinho... passei a sentir um misto de dor e tesão, queria sair, mas ele não deixava, me segurava pela cintura e colocava contra a parede, até que enterrou todo aquele pau no meu cuzinho, eu gemia de tesão e dor e ele passou e bombar de leve, indo e voltando devagarinho e quando vi já estava pedindo pra ele meter com força... gozamos gostoso e a partir daí, todo final de semana, após o expediente, o escritório do depósito virou nosso motel, metemos muito, ele sempre gozava comendo meu cuzinho e eu na boca dele

Hoje, o depósito foi vendido, ele mudou-se para outro estado e eu nunca mais dei pra outro macho.


Comentar