Fato
19 de abr de 2020


Para evitar identificação alguns pontos serão distorcidos intencionalmente.

Ainda utilizávamos outro app para swinger, desde que me envolvi com ela disse que era liberal e que "levar a sério relacionamento" nada tinha a ver com perda de oportunidades sexuais e caso quisesse não ir adiante por isso era todo direito dela. Aos poucos foi entendendo os pontos de vista, prós e contras e passamos a "filtrar" interessados. Acho normal fazermos escolhas na vida, não seria diferente para sexo, ainda mais as mulheres, que com piscar de olhos em um homem o avalia e diversos aspectos. Pois bem, enfim apareceu um casal simpático dentre tantas conversas longas, pois a insegurança causa inda mais rigor analítico e tenho dó de quem está ansioso só pra colocar rola entre as pernas de mulher e não sente o drama que pode envolver ou a libido diferente da masculina que envolve a erotização anterior ao coito, e ainda a casais pensando que é indecisão, mas não, é um cara que quer transmitir segurança a sua parceira em todo o processo para não deixar sequela e terem algo saudável e memorável para ambos envolvidos.

Marcamos local de uma proza inicial em espaço aberto e fomos. Eles demoraram um pouco, confesso, mas a simplicidade foi confirmada nesse momento. Respeitosos e gentis falaram outros poréns e ainda fomos beber para aliviar a tensão e dar a minha namorada maior tempo de avaliar e sentir o clima.

Pedi a eles que fossem ao carro em despedida e se mantivessem lá até que a Carla me dissesse o que achou e se seguiríamos até o motel logo nessa primeira tentativa. Sempre dizia que a qualquer momento ela poderia desistir, nada é por mim e sim pelo que ela achar que vale, se não, não serve pra nós dois. Conversamos alguns minutos e pensando que seriam longos e variados encontros antes dela se decidir, fui contrariado ao vê-la dizer "sim, vamos!". Mandei mensagem ao casal que aguardava no estacionamento próximo que aguardassem, pois iríamos.

Combinamos de ir no mesmo carro e, o caminho foram mais conversas ainda meio desconfortáveis, misto de excitação com medo (por ela), pois o casal e eu éramos experientes.

Combinamos transar no mesmo espaço e se a iniciante sentisse vontade, que ficasse a vontade para interagir com o outro casal e aí sim a "troca". Eu pensando que existia timidez, não demorou 5min pelados e a preta foi experimentar a rola do casado. Ambas esposas chupando o cara que tem um pau maior e mais grosso, óbvio que fiquei super excitado na cena. Sexualmente atrativa, minha namorada feliz, e eu novamente em um relacionamento estável liberal.

Fizemos várias posições, e pra mim o clímax foi pegá-las de 4 frente ao espelho, ver o pauzudo socando a rola no meu BB e eu fazendo o mesmo na esposa dele. Elas gemendo gostoso e olhando pra gente pelo espelho com aquelas caras de safadas.

Depois de 2hs de foda, do qual paramos só pra água, descansamos um pouco e revezamos no banheiro de um motel simples do qual tínhamos condição e que a cidade não dispõe de muitas opções luxuosas também.

Vestidos e cheirosos, agora o clima era outro. Brincadeiras, planos para outro encontro, casos de família, e mantemos o contato até hoje. Queremos chegar ao tempo deles de casamento e ter uma família tão linda e feliz quanto percebemos que tem, é uma inveja boa saber que lidamos com pessoas excepcionais.

Tags: casal, esposa feliz, Primeiro encontro


Comentários