Fato
17 de jul de 2019


Foi há muito tempo atrás que me interessei em algo com casais, apesar das restrições, pois ainda era casado( estou viúvo há pouco tempo!). Curiosidade não faltava.

Naquela época, meados da década de 90, a internet ainda não tinha a efervescência de hoje e a comunicação era um tanto quanto difícil, lembro que meus primeiros contatos foram por cartas, através de algumas revistas que publicavam anúncios e tínhamos que adquirir uma caixa postal nos Correios e a partir dali, iniciar um papo que às vezes demorava meses pra ocorrer. Claro que por causa da distância geográfica, raramente finalizamos um encontro pessoalmente. A vontade apenas aumentava e quando veio o "boom" das salas de bate-papo, foi numa delas que me deparei com um nick sugestivo, de alguém que buscava um parceiro para curtir junto com ele e a mulher, o que seria uma experiência inédita para todos, inclusive eu!

Era um casal residente no Maranhão e que viria a passeio visitar Fortaleza, aproveitando para realizar essa fantasia.

Conversamos bastante pelo MSN e também pelo recém-lançado Skype, o que nos favoreceu mais aproximação e entrosamento virtual e uma segurança maior para encarar o que viria no real.

Bonitos, novos...faixa etária de pouco mais de uns 30 anos, ele um moreno de estatura mediana, cabelos curtos, simpático e falante, ela, uma morena de características bem marcantes, oriunda do Pará e uma pele macia, cabelo pretos bem lisos, boca com lábios bem carnudos e seios redondos, empinados. Enfim, parecia que eu tinha tirado a sorte grande logo de cara, mas antes me preveniram de que teria que rolar afinidade entre todos, principalmente da parte dela. Ele fez todos os contatos até o encontro, mas a decisão ela é quem daria após um papo pessoalmente.

Se hospedaram na pousada Pelicano e creio que ainda existe até hoje ali na Praia de Iracema. Marcaram comigo num barzinho lá perto. Chequei nervoso demais, trêmulo e com receio de uma possível rejeição.

Estavam nitidamente nervosos também. Pedimos bebidas, eu e ele cerveja, ela caipirosca. O nervosismo foi acabando e o papo fluindo bem mais à vontade. De repente ele disse que ia sair pra ir buscar algo na pousada e me deixou sozinho com ela. Claro que ali era uma estratégia para o papo acontecer entre nós. E foi ficando tudo melhor, surgiu assunto de putaria, me contou as fantasias e eu as minhas, inclusive os fetiches e de uma hora pra outra as pernas se esbarraram embaixo da mesa e começamos a nos roçar. Meu pau subiu na hora!! Vi que os olhos dela brilharam, ela sorriu, sinalizando que a aprovação tinha ocorrido.

Por acaso, ele chegou, sentou e de alguma maneira entendeu que já estava selado o acordo.

Sugeriram irmos pra algum motel bacana, queriam que fosse um dos melhores. E se prontificaram em bancar a conta lá, o que até me deixou surpreso, nem rachar exigiram. Paguei a do bar, pelo menos.

Seguimos então para o Dragon, próximo da Washington Soares, lá pelos lados da UNIFOR. Na suíte, pedimos mais bebidas e ficamos eu e ele de cueca, ela de calcinha, mas sem sutiâ, deixando aqueles peitos à mostra e com os bicos durinhos na nossa direção, Nem precisou pedir. Meti a boca nela, sugando bem. Eles se beijavam bastante e eu, de pau duraço, a baba descendo, melando tudo, mamando aqueles peitos lindos.

O tesão estava nas alturas, ficou todo mundo pelado. Ele sentou pra assistir eu em cima dela, toda arreganhada e eu em cima, mamando os peitos e descendo a boca até chegar naquela buceta carnudona e pedindo pomba, já toda molhadinha...dei uma lambida na entradinha e senti o cheiro gostoso da xoxota misturada com mijo. Puta que pariu!!!

Coloquei a camisinha no pau pra entrar logo naquela buceta tesuda, comecei dando umas estocadas de leve, o pau escorregava...depois deslizava a cabeçuda e começou a se perder lá dentro, comigo enfiando devagar e ela se contorcendo toda, gemendo alto. Foi quando ele se aproximou e começou a me ajudar a enfiar o pau nela. Tirou meu pau e foi colocando de novo pra ver de perto a enterrada nela. Pediu pra eu socar tudo. Eu já estava alucinado com aquilo acontecendo. Ele se debruçou sobre ela e começaram a se beijar mais e mais...e eu metendo com força. Ele saiu de cima dela e pediu pra ela ficar de quatro pra eu entrar por trás. Ficou igual cadela e arrebitou o rabo na minha direção...eu em pé fora da cama, ela de quatro e então foi quando ele entrou por baixo dela com a cabeça voltada pra buceta engolindo meu pau. Vi que era o momento que ele mais esperava: Olhar de muito perto, com a cara quase encostada, ela sendo rasgada por outro macho comedor. Endoidei com a cena. Meu pau parecia que dobrava de tamanho metendo nela, num vai e vem alucinante, acelerado...ela gritando de tesão e parava só quando mamava o pau dele. Ele se masturbava com a cara metida no meio das pernas dela, vendo meu pau foder. Acho que todo mundo gozou praticamente junto...eu tremia direto,ela dava uns pequenos espasmos...só ele que que retardou um pouco e saiu da posição e veio terminar de bater a punheta bem em cima dela, que continuava de quatro e na hora em que ele esporrou, recebeu a porra dele toda dentro da buceta, deixando escorrer um pouco.

Em seguida tomamos um bom banho pra relaxar. A noite valeu demais!

Fomos embora pra deixá-los na pousada. Ainda nos encontramos uns dois dias depois, mas apenas pra conversar.

Tinham curtido tanto quanto eu. Cheguei a ir uma vez a São Luís, nos encontramos e repetimos o que ocorreu em Fortaleza.

Depois acabamos perdendo o contato e ficou apenas a lembrança daquilo tudo.

Quem sabe, qualquer dia desses, teremos mais uma chance e reataremos essa grande amizade que surgiu de maneira tão prazerosa.

Tomara!


Comentar