Escrito por Anônimo

Erótico
15 de ago de 2019


É raro uma mulher me procurar para íniciar uma terapia baseada em hipnose sexual, geralmente sou procurado por homens querendo realizar as suas fantansias com suas parceiras, mas aquela situação foi totalmente as avessas.

Era quase 16:00 horas de uma tarde quente quando a campainha tocou, rapidamente fui atender, era a Amely, uma garota que conheci em uma palestra de MMN.

Coxas grossas, bunda empinada, bucetinha volumosa sob a calça jeans, pele branquinha, cabelos longos e loiros e um perfume floral maravilhoso. Amely é a típica mulher atlética, gosta de praticar esportes, além de ser uma mulher muito bem resolvida financeiramente, é casada com um ex funcionário de um famoso banco, 17 anos mais velho.

Tê-la alí em meu portão foi uma ótima surpresa, então, a cumprimentei:

-Oi, boa tarde, que surpresa!

-Oi, Soares! Soares, né?

-Isso!

-Podemos conversar um pouco?

-Podemos sim, por favor, entre.

Amely entrou, conversamos por alguns minutos, ela me falou que precisava realizar uma fantasia do seu marido, porém, não se sentia avontade para isto, então me perguntou se a hipnotransa poderia ajuda-la.

-Soares, a fantasia do meu marido é a seguinte: Ele tem um amigo, o Emerson, ele deseja muito me ver transar com ele, porém eu não tenho certeza se quero, o Emerson é bonitão, mas, eu sou muito tímida, só em pensar me sinto traindo meu marido.

Como você pode me ajudar?

Expliquei para ela que a hipnose poderia ajuda-la a entender o porquê dela ainda se sentir assim, mesmo com o marido concordando, porém, precisávamos realizar uma sessão em um lugar reservado e marcamos para a sua casa uma semana depois, expliquei tudo o que faríamos e passada uma semana, lá estava eu no horário marcado.

Amely me atendeu, entrei e ela me apresentou Roberto o seu marido, conversamos por alguns minutos, expliquei ao Roberto tudo sobre hipnose sexual e o que faríamos, ele concordou e fomos a sessão.

No quarto do casal a Amely deitou-se confortavelmente na cama, com aquela roupinha folgada, semi transparente e confortável que recaia sobre seu corpo marcando todas as curvas, realizamos a sessão, identificamos os traumas, ressignificamos para a Amely o pedido do seu esposo, aquilo que antes para ela era traição agora tinha ficado claro através da hipnose que era apenas uma apimentada a mais no relacionamento.

Bom, meu papel profissional acabou alí, fui para casa e deixei que o casal se resolvesse, porém, quinze dias depois numa determinada noite meu celular tocou, era uma chamada de vídeo da Amely, eu atendi, ela estava vestida num roupão de banho e toalha no cabelo molhado.

-Soares, me faz um favor?

-Sim.

-Vem aqui para casa, o Roberto pediu sua presença, é que hoje o Emerson vem aqui e o Roberto está com medo que eu desista, mas isto é impossível.(Risos)

Eu fui correndo para lá, ao entrar percebir que já estava tudo muito adiantado, Amely já estava apenas de lingerie, uma lingerie bem sexy, porém Emerson e Roberto ainda estavam vestidos, muito bem vestidos por sinal e tomavam um vinho para esquentar.

Roberto foi o primeiro a tirar a roupa, estava de pau duro e começou a bater uma punheta alí mesmo e disse:

-Amely, minha linda, senta no colo do emerson, vai?

Dava pra ver o volume na calça do emerson, afinal ficaria difícil esconder, o cara tem quase dois metros de altura 36 anos, moreno porte fisico de lutador de boxe e 22 Centimentros de pica, ele iria aregassar a Amely.

Amely, não apenas sentou de frente no colo do Emerson, ela rebolou enquanto tirava a sua camisa, logo em seguida desabotou o sutian e esfregou aqueles peitões na cara do Emerson, enquanto gemia safadamente.

Emerson a agarrou e chupou sua boca e peitos com muito gosto, abriu o ziper da calça, pôs o pau para fora, afastou um lado da calcinha da Amely e meteu toda aquela pica grossa na xoxota apertadinha da Amely, que gemeu muito alto.

-Ai, gostoso!!!! Filho de uma puta, me arromba, vai!

Enquanto isto o roberto olhava , se masturbava e tudo que falava era.

-Come essa safada, vai, ela é sua puta agora.

A putaria rolou solta, Emerson a pôs de quatro, de frango assado, 69, fez dela gato e sapato e eu só olhava tudo com muito tesão, mas não fui convidado a foder, então deixei rolar, foi quando o Roberto interrompeu:

-Espera, Emerson, abre o cu dela agora.

Emerson a colocou de quatro o roberto veio em direção da Amely e meteu naquele cu, mas não por muito tempo, pois o que ele curtia mesmo é vê la ser fodida por outro macho.

Depois de alguns minutos o Roberto interrompeu outra vez e me propôs.

-Soares, a Amely vai ficar de quatro pra você agora, não é para você comer ela, mas você vai bater uma punheta e gozar sobre o cu e a buceta dela, você topa?

-Claro que sim!

Eu estava louco para entrar na brincadeira, Amely ficou de quatro enquanto chupava o Emerson, eu bati uma punheta e gozei naquelas nádegas, o gozo escorria por aquele reguinho maravilhoso e lambuzava o cu e a buceta, roberto vendo a cena começou a chupar a xoxota da Amely mesmo toda "Engalada", para completar o Emerson gozou na boca dela e o Roberto a beijou com todo tesão do mundo.

Deixamos o casal aproveitar por algum tempo, não fizemos a Amely gozar, deixamos essa honra para o Roberto que acabou de lambuza-la.

Depois que o casal terminou, tomamos um cafezinho para espertarRoberto e Amely me agradeceram, marcamos uma nova sessão e Emerson e eu fomos embora.


Comentários